De coração cheio, voltámos de Fátima

De coração cheio, voltámos de Fátima. Pois é, foi um fim de semana intenso em Portugal e nós estivemos no centro dele! A Fátima acorreram muitas pessoas de 55 países diferentes, para celebrar os 100 anos das aparições, em que contámos com a presença especial do nosso querido Papa, o qual veio também canonizar os pastorinhos Jacinta e Francisco Marto. Foi um momento de grande alegria e recolhimento. Tal como anteriores Papas, este também é um grande devoto deste Santuário.  

Pudemos estar com ele em oração em várias ocasiões. Ao fim da tarde de sexta-feira veio cumprimentar Nossa Senhora e dedicar-lhe uma oração e rezámos todos em silêncio com ele, num momento inesquecível. À noite, depois de descansar um pouco, desceu a pé o recinto, depois do terço gigante de Joana Vasconcelos finalmente se acender, pela primeira vez, no escuro da noite. O Papa esteve ao pé da estátua da Virgem na capelinha das Aparições a rezar o terço connosco. De seguida, com uma postura nada popstar, saiu do recinto no Papa móvel, sentado no carro em vez de seguir em cima, de modo a não perturbar o fim da recitação do terço e a procissão das velas, sempre inesquecível, a qual foi seguida de Missa presidida pelo Cardeal Pietro Parolin (“número dois” do Vaticano).  

Foi um momento, mais uma vez, único, ficando na nossa memória a piedade do Papa e as suas orações ternas e confiantes a Maria. Surpreendeu-nos a sua postura recolhida e pouco voltada para o espetáculo. O Papa sabe que é o líder da Igreja, mas veio como um peregrino entre peregrinos, “na esperança e na paz”.

No dia seguinte, o Sol visitou-nos a todos e na celebração da Missa teve parte a canonização dos Pastorinhos.  

Em resumo, Francisco deixou-nos uma mensagem de paz, apelando à “concórdia entre todos os povos”, veio agradecer também as graças e lembrar os 100 anos de proteção de Maria. Retenho, por um lado, este apelo à Paz e que começa nas nossas casas, tal como esta postura piedosa e simples do Papa e o apelo a que se purifique a relação de fé das pessoas com Fátima, “não é vir à Santinha”, como disse! Homilia de Sábado, 13 de Maio, aqui.  

Também pediu uma Igreja “pobre de meios e rica no amor”. Por último, tal como referiu o Cardeal D. Manuel Clemente, que não fiquemos indiferentes a esta visita e as coisas não fiquem na mesma!  

Da nossa parte, rezámos pela Paz e por todos, incluindo as pessoas que estão no datescatolicos.org à procura da cara metade! Deus vos abençoe!

António Pimenta de Brito

Ver todas as novidades