Levanta-te e luta por aquilo que queres!

por José Luís Nunes Martins

Não esperes por aquilo pelo qual podes lutar.

Por vezes, a esperança degenera em simples preguiça, deixando de nos fazer trabalhar pelo que desejamos, suportando as adversidades, tomando-as como testes à nossa identidade – que também nós queremos conhecer – fazendo dessas contrariedades degraus que nos permitem chegar mais alto.

O universo não se vai ajoelhar e servir a tua vontade, por mais firme que ela seja, nunca... mas pode colaborar com os teus sonhos, em virtude das obras de que fores capaz. E ainda bem que é assim!

Não esperes pelos outros. Cada um tem as suas lutas, as suas armas e as suas guerras, as suas virtudes e as suas desgraças. Enquanto puderes lutar, não peças ou esperes que outros o façam por ti. Quando não... pede ajuda.

Não desesperes. Quase sempre a chave que abre a porta é uma das últimas...

A única altura em que não se pode falhar é quando se tenta pela última vez. Mas ninguém saberá, com certeza, qual é. Alguns julgam que já acabaram, mas ainda nem a meio chegaram. Outros julgam que ainda terão muitas mais oportunidades, mas a última já foi... sem que sequer tenham dado conta disso, e, quando dão, já é demasiado tarde.

Basta que vençamos uma guerra para que tudo faça sentido. Mas, para garantir que conseguimos vencer uma, devemos lutar em muitas, muitas. Um sucesso vale os 100 fracassos que pode custar… e é só no momento do sucesso que se percebe que os fracassos, afinal, não foram fracassos.

Todos temos forças que ignoramos. Só as conseguimos pressentir depois de termos usado, até perto do limite, as forças que sabemos que temos... e, assim, um novo horizonte surge, quando chegamos ao ponto que antes marcava a fronteira entre o céu e a terra. Sempre.  

Quando caíres, não te permitas ficar no chão muito tempo. Lembra-te que sem fracassos não chegas lá.

 

(ilustração de Carlos Ribeiro)

Quer receber um texto de José Luís Nunes Martins todas as semanas? Subscreva a nossa newsletter, aqui

Ver todas as novidades