Sobreviver ao Dia dos Namorados enquanto solteiro

por Gudrun Kugler

Mais uma vez, é dia dos namorados! E você está sozinho ... Uma vergonha! Enquanto todos se afunilam como pombas e se pavoneiam, está à procura de um plano de sobrevivência. Lembre-se, o Dia dos Namorados é um dia comercial que a indústria tem feito com sucesso o dia mais lucrativo do ano. Não deixe nenhum estranho condicioná-lo!

No entanto, está frio lá fora, e sente-se também frio no seu interior. Isso não é bom. Para sobreviver ao Dia dos Namorados, faça o seguinte:

1. Faça a alguém algo de bom

O "Amor" não se limita a uma cara metade: dê no Dia dos Namorados a alguém da sua vida um pouco de amor! Mostre a alguém que gosta dele ou dela ou que lhe está agradecido. Muitas vezes, um pequeno gesto ou um pequeno favor faz uma grande diferença. Para amar, não é preciso estar apaixonado. “Adopte” as pessoas ao seu redor, pense sobre como as pode fazer felizes. Para a ocasião actual, podia até oferecer babysitting a um casal no Dia dos Namorados para lhes permitir passar um serão juntos. Ou podia comprar flores para a sua irmã?  

2. Faça a si próprio algo de bom

Faça algo bonito sobre o qual se possa alegrar! Planeie algo diferente do seu dia a dia. Passe o dia com a família ou com os amigos. Mas não pense muito sobre si próprio, porque isso nunca levou ninguém para a frente. Mantenha-se de qualquer maneira longe daqueles que o magoam ou de coisas que o magoem. Muitas vezes são os gabarolas que o deixam triste - evite-os, especialmente em dias como o Dia dos Namorados.

3. Ir a um date com Deus

O seu amado é dono do mundo. Isto soa bem! Vá no Dia dos Namorados a um date com Deus. Marque mesmo uma hora. Fale a Deus sobre os seus desejos e peça-lhe fervorosamente que o ouça! Depois ouça-O. Deixe-se aquecer e amar por Ele. E o seu dia dos Namorados será excelente.

 

Gudrun Kugler é a fundadora e diretora da comunidade online de solteiros católicos kathtreff, à qual pertence o datescatolicos.org Gudrun Kugler é deputada no Parlamento em Viena de Áustria desde outubro de 2015. Os seus pelouros abrangem especialmente os direitos humanos, os assuntos europeus e a integração dos refugiados. Gudrun Kugler é casada, tem quatro filhos e publicou vários livros.

O livro "Ninguém é uma ilha" está desde Novembro de 2016 publicado em Português e chama-se "Casar com Sucesso". Adquira o seu exemplar aqui

Ver todas as novidades