Ainda o filme “Silêncio”: é a defesa de uma fé privada?

por António Pimenta de Brito

Se me perguntassem hoje o que faria, diria que seguia a opção de Garupe, com toda a ajuda divina que isso comportasse, mas confrontado com a situação, quem garante o que seja?

Não podemos dizer que o filme de Scorsese é uma defesa da apostasia como o seu contrário. Em primeiro lugar, porque os três jesuítas, Ferreira, Rodrigues e Garupe, perante o dilema principal do filme, optam por caminhos opostos. Se muitos têm valorizado e compreendido de forma “racional” a atitude de Rodrigues e Ferreira, os quais optam por uma fé privada, submissa ao poder em favor dos seus irmãos na fé, Garupe e restantes mártires não cedem e, antes de negarem a sua alma, oferecem o seu corpo e assumem o sacrifício com os seus irmãos.

Artigo completo aqui

Ver todas as novidades