Namorar e logo se vê ou namorar para casar? (2/4): Sonho.

por António Pimenta de Brito (Outubro 2018)

A pergunta é: o que quero? Se o que quero é apenas conhecer alguém que me faça sentir bem, seja bonita e boa pessoa, mas sem grandes ambições de futuro, então não faz sentido um site de encontros falar em “Casamento”. O meu objetivo na vida não é propriamente a família. É, por exemplo, a carreira profissional. Muito bem, mas aí não penso que sequer haja “compromisso”. A palavra compromisso significa, “lançar-nos para a frente, juntos”. Planear, reservar para a frente, não consta que tenha “ses” ou “logo se vê”. É mesmo “para a frente”.

O diferente (e disruptivo, como se diz tanto no empreendedorismo) é haver um site de encontros focado no objetivo final, o casamento!

Se a pessoa está focada neste sonho, nessa aventura que é o casamento, é não apenas um sonho, mas um objetivo, como se diz tanto nos discursos motivacionais! Requer, mais do que sonhos, ações concretas para alcançá-lo. Então a pessoa não escolhe qualquer um e, mesmo que venha a falhar, de início escolhe com base em alguns critérios e o namoro é um período de prova, de conhecimento e discernimento desta decisão.

É difícil de dizer no mundo atual, mas é também um período de renúncia. Sim, é difícil e eu não sou o melhor exemplo, pois também falhei, mas não perdi em tentar. Se baseio o namoro só em me sentir bem, os níveis de prazer ofuscam características importantes na pessoa e esta pode depois tomar uma decisão de casar com base apenas em sentimentos. E uma decisão de casar não pode ser só emocional. Tenho de me perguntar, vejo-me com esta pessoa a vida toda? Tem os mesmos valores do que eu, ou parecidos? 

 

Namorar e logo se vê ou namorar para casar? (1/4): Compromisso.

Não perca o próximo texto: "Namorar e logo se vê ou namorar para casar? (3/4): Motivações"

Ver todas as novidades